• Rogger da Costa

Não é dia do goleiro, mas poderia ser. 20/05 Aniversário de Cech e Casillas

A vida de um jogador de futebol pode ser marcada de diversas maneiras. A mais comum delas é pelos títulos que ele conquista. A dupla de goleiros que aniversaria hoje (20) é uma das mais vencedoras de todos os tempos: Copa do Mundo? Iker Casillas tem. Assim como Champions, La Liga e Copa do Rei. Título de Champions com direito a defender pênalti na final? Moleza para Petr Cech. Assim como a Premier League e a Copa da Inglaterra.

Além das carreiras extremamente vencedoras, os goleiros têm, em comum, o mesmo dia de nascimento. Separados por apenas um ano (Casillas é de 1981 e Cech de 1982), ambos fazem aniversário no dia 20/05. No Brasil, o dia do goleiro é comemorado em 26/04, dia em que nasceu o grande Manga. Mas, na Europa, bem que poderia ser no aniversário de Cech e Casillas que, juntos, conquistaram 47 títulos.


Petr Cech: Ídolo do Chelsea até mesmo depois de jogar pelo Arsenal, grande rival


O tcheco Petr Cech nasceu em 20/05/1982. Sete anos depois, o goleiro já integrava as divisões de base do Viktoria Plzen. Aos 17 anos, fez sua estreia como profissional, pelo Chmel Blsany. De lá, se transferiu para o Sparta Praga em 2001. E aí sim, foi projetado para o futebol mundial


Contratado por 600 mil euros (R$ 3,7 milhões na cotação atual) pelo clube tcheco, foi repassado - apenas um ano depois, logo após ser campeão europeu sub-21 - para o Rennes, por 5 milhões de euros (R$ 31 milhões). E quase triplicou seu valor nos dois anos na França: foi vendido, em 2004, para o Chelsea, por 13 milhões de euros (R$ 81,6 milhões).


Pelo Chelsea, Cech deixou de ser apenas um bom goleiro e, conforme os anos passaram, se consolidou como uma lenda não só do clube, mas também da posição. Um dos melhores do século, o camisa 1 também ficou marcado pelo capacete que passou a utilizar como proteção após uma série lesão na cabeça em 2006, ao receber uma joelhada na cabeça e correr risco de vida.

O acidente, apesar disso, não lhe impediu de se consolidar como o goleiro que tem mais jogos sem sofrer gols na história da Premier League (são 202), além de ter sido o melhor de sua posição na liga inglesa em quatro oportunidades diferentes.


Para além do desempenho individual, Cech também foi fundamental em quatro títulos da Premier League, cinco da Copa da Inglaterra, três Copas da Liga, uma Champions League e uma Europa League pelos Blues.


Na Champions, inclusive, foi decisivo. Na final contra o Bayern, muitos se lembram do gol de Drogba, no fim do tempo regulamentar, que mandou o jogo para a prorrogação. No primeiro tempo dela, Cech brilhou ao defender pênalti cobrado por Robben. Além disso, também pegou as de Olic e Schweinsteiger na disputa de pênaltis e se consagrou.


E houve quem pensasse que a idolatria seria minimizada porque Cech, em 2015, foi para o Arsenal, grande rival londrino, onde permaneceu por quatro anos, vencendo duas Supercopas da Inglaterra. Que nada. Ao se aposentar, ano passado, o tcheco voltou ao Chelsea, mas como diretor do clube. E segue sendo reverenciado por - se não toda - boa parte da torcida como o maior goleiro da história do clube de Stamford Bridge.


Iker Casillas: o ídolo que transcendeu gerações no Real Madrid


É difícil encontrar, neste século, uma geração do Real Madrid pela qual Iker Casillas não tenha passado. Até porque, logo após fazer 19 anos, o espanhol já conquistava a Champions League 1999/2000. E como titular na final contra o Valencia. Logo em sua temporada de estreia pelo time principal.


Em suas primeiras partidas, Casillas compartilhou o gramado com lendas do clube como Roberto Carlos, Fernando Hierro e Raúl. Alguns anos depois, viu o Real Madrid montar a equipe que ficou conhecida como os "Galácticos". Ao lado de Ronaldo, Beckham, Figo e Zidane, foi um dos pilares daquele time. E enquanto estes saíram ou - como Zinédine - se aposentaram, ele ficou.


Em 2009, o Real Madrid tentou se reestruturar e começou a montar um novo supertime. As duas primeiras contratações foram estrondosas: Kaká e Cristiano Ronaldo. O brasileiro não deu tão certo. Já o português marcou época e se consagrou, em Madri, como um dos melhores de todos os tempos.


Casillas, claro, estava lá. Como esteve na conquista de 'La Décima', talvez o título de Champions League mais marcante da história do Real Madrid, na temporada 2013/14, sobre o Atlético de Madrid. Aquele em que Sergio Ramos fez de cabeça no finzinho e levou o jogo para a prorrogação...lembra?


E só não participou do tricampeonato histórico sob o comando de Zidane porque, em 2015, acabou deixando o clube rumo ao Porto, onde foi campeão português e bicampeão da Supercopa de Portugal.


Pela seleção espanhola, seu currículo é tão invejável quanto por clubes. Afinal, Casillas fez parte da geração que transformou a Espanha em uma equipe vencedora. Bicampeão europeu e campeão do mundo, foi o capitão em todas essas conquistas.


O espanhol ainda tem uma vitória ainda mais importante em sua história: durante um treino em 2019, o goleiro sofreu um infarto e correu sério risco de vida. Acabou sobrevivendo e até mesmo voltando a treinar, mas acabou se aposentando em fevereiro deste ano.


Ao longo de sua carreira, Casillas venceu: cinco La Ligas, quatro Supercopas da Espanha, duas Copas do Rei, três Champions League, duas Supercopas da Europa, cinco Mundiais, duas Supercopas de Portugal e um Campeonato Português.

33 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco

© 2020 por Voa Goleiro. Tudo sobre Goleiros.