top of page
  • Caio

Grohe, o Goleiro que NUNCA desistiu

A agonia sofrida pelos torcedores do Grêmio na arquibancada nos últimos 15 anos sem grandes títulos foi sentida dentro do campo por mais de dois terços do período por Marcelo Grohe. O goleiro, criado na base do clube, está no grupo principal desde 2005. Foi tricampeão gaúcho e campeão da Série B em 2005, mas só conseguiu a consagração de uma grande conquista na noite dessa quarta-feira com a taça que valeu o pentacampeonato da Copa do Brasil para o Tricolor.


Marcelo Grohe subiu ao elenco principal do Grêmio em 2005 e fez parte do grupo que conquistou a Série B com a histórica vitória nos Aflitos sobre o Náutico. Em 2006, aos 19 anos, acabou sendo titular na final do Gauchão por uma lesão de Galatto. Com atuações seguras ajudou o tricolor a conquistar o título dentro do Beira-Rio com o empate em 1 a 1.

O título em 2006, que poderia abrir o caminho para grandes conquistas, acabou ficando isolado para Marcelo Grohe em matéria de titularidade até a Copa do Brasil deste ano. Com Grohe no elenco, o Grêmio ainda venceu o Gauchão mais duas vezes, 2007 e 2010, mas em ambas ele era reserva.

Saída de Victor abre espaço, mas chegada de Dida atrapalha ascensão


Após seis anos como goleiro reserva do Grêmio, Marcelo Grohe se tornou titular do Grêmio em meio à disputa do Brasileirão de 2012, quando Victor foi vendido para o Atlético-MG. Naquele momento, o então presidente Paulo Odone justificou a venda do camisa 1 titular pela confiança que tinha em Grohe.

Marcelo Grohe correspondeu à oportunidade dada e o Grêmio terminou o Brasileirão daquele ano com a melhor defesa. Mesmo assim, no começo de 2013, com a nova direção comandada por Fábio Koff e por um pedido do técnico Vanderlei Luxemburgo, o clube contratou Dida. Grohe passou então mais uma temporada na reserva.


A efetivação da titularidade veio apenas em 2014. Já com Enderson Moreira como técnico, Grohe iniciou o ano com a camisa 1 após Dida não ter o contrato renovado. O goleiro voltou a ter bom desempenho e foi convocado pelo técnico Dunga para defender a Seleção Brasileira na Copa América de 2015 – chamado repetido para a Copa Centenário deste ano.

Apesar dos bons desempenhos e das chegadas à Seleção Brasileira, Grohe nunca escondeu sua frustração pela ausência de grandes título pelo Grêmio. Na Copa do Brasil deste ano, se tornou herói nas oitavas de final ao pegar três pênaltis na disputa com o Atlético-PR. Antes, no entanto, havia falhado no gol de André Lima. Após a partida, com lágrimas nos olhos, ele admitiu que temeu por aquele erro poder levar ao fim da sua trajetória no Grêmio.

“Tem sido um tempo difícil para mim. Torcedor pega no pé. Tem sido um tempo difícil para mim. Às vezes as coisas não acontecem como a gente quer, torcedor pega no pé. Jogar o segundo tempo com a carga emocional que jogamos. Sabia que a responsabilidade cairia toda em cima de mim. Claro que foi uma falha, uma bola que veio em cima, acabei soltando no pé do André Lima. É difícil de acontecer. Já tive falhas na minha carreira, mas assim de soltar no pé do atacante e só empurrar, vocês podem ver, tenho quase 300 jogos, são poucos lances” disse o goleiro, que seguiu.

“Sofro para caramba aqui, quero muito ganhar um título pra esta torcida e para o clube. Foi emocionante”, afirmou o goleiro na ocasião. Nessa quarta-feira, Grohe pode finalmente conquistar esse título tão almejado.

1 visualização0 comentário
bottom of page