top of page
  • Rogger da Costa

GRANDES CLUBES ESTÃO DE OLHO EM BONO

O goleiro marroquino já fez história, ajudando seu país a chegar às semifinais da Copa do Mundo. A vitória sobre Portugal que tornou Marrocos a primeira seleção africana a chegar às semifinais da Copa do Mundo produziu algumas imagens icônicas: o salto de Youssef En-Nesyri para o gol, Sofiane Boufal dançando com sua mãe na linha lateral, o técnico Walid Regragui sendo içado por seus jogadores, o alegria desenfreada entre os torcedores marroquinos nas arquibancadas.


No entanto, um momento crucial que permitiu essas cenas de euforia aconteceu aos 84 minutos, com Portugal pressionando forte para o empate.


João Félix foi armado por Cristiano Ronaldo e o chute de pé esquerdo que desencadeou parecia destinado ao canto superior do gol marroquino. Mas Yassine Bounou tinha outras ideias. O goleiro desviou para escanteio, deixando Félix com cara de incrédulo. Foi um momento que passou em uma fração de segundo, mas que o futebol marroquino reviverá por décadas.


Está entre uma série de defesas épicas de Bounou na Copa do Mundo no Catar, que ajudaram seu time a fazer história e ao mesmo tempo levá-lo aos holofotes globais.


Há rumores de que os principais clubes europeus, do Real Madrid ao Manchester United, estão interessados no goleiro marroquino, também conhecido como Bono – o nome que ele usa em sua camisa.


Embora protegido por uma defesa capaz, Bounou manteve três jogos sem sofrer golos até agora na Copa do Mundo, a maior sequência do torneio. É um feito que nenhum goleiro africano jamais conseguiu.


Em quatro jogos entre as traves, Bounou sofreu apenas um gol. Sua média de gols sofridos por 90 minutos é de 0,23, a menor até agora nesta Copa do Mundo. Ele não jogou na primeira grande virada do Marrocos no torneio, contra a Bélgica.


Ele foi a estrela na vitória de seu time sobre a Espanha nas oitavas de final, defendendo dois pênaltis na disputa.


Enquanto Bounou é um dos grandes sucessos da Copa do Mundo, os fãs da La Liga estão bem familiarizados com suas habilidades. O goleiro do Sevilla sofreu cinco gols a menos na última temporada do que Thibaut Courtois, do Real Madrid, o goleiro número um do mundo. Os 13 jogos sem sofrer gols do marroquino o levaram a ser coroado o melhor goleiro do ano na La Liga.


Nascido em Montreal, filho de pais marroquinos, Bounou era elegível para jogar pelo Canadá e até foi contatado pelo técnico canadense em 2013. Mas acabou optando por jogar pelo Marrocos.


“Eu sou originalmente do Marrocos e cresci lá. Sempre sonhei em jogar pelo Atlas Lions”, disse ele em entrevista ao programa de televisão espanhol Balón Parado antes da Copa do Mundo.


Enquanto os torcedores marroquinos devem agradecer às estrelas por Bounou, os torcedores do Sevilla podem em breve ter que se separar dele. Ele começou a receber olhares de corte dos clubes de elite da Europa, e o lado da Andaluzia – onde ele está atualmente em seu quarto ano – terá uma tarefa em suas mãos para mantê-lo.


Para as equipes que ainda não encontraram o que procuram para o gol, “Bono” pode ser a resposta.

157 visualizações0 comentário
bottom of page