• Rogger da Costa

2 em 20 anos. A escassez de Goleiros “Made In La Masia”

Atualizado: Mai 15

Foto/Reprodução: Josep Lago/AFP/Getty Images
Pesquisa, edição e revisão: Guilherme Bonilla Colomé  

O Barcelona é sinônimo de formação de atletas de futebol. Os indivíduos que saem das canteras blaugranas são muito procurados e bem vistos pelo mercado principalmente por possuírem o selo de formação de La Masia. Entretanto, é curioso notar que isto em grande parte não ocorre com os goleiros que ocupam as metas das categorias inferiores. Desde a temporada 1999-2000 até o presente momento, apenas dois arqueiros pratas da casa assumiram a titularidade do time principal, sendo que um deles o fez por pouco tempo e teve muito mais sucesso tendo fora do clube, enquanto o outro se tornou uma lenda e símbolo do Barcelona, mas não obteve sucesso nos outros clubes que passou.

Nestes últimos 20 anos, 24 jogadores de 9 nacionalidades diferentes estiveram diretamente envolvidos com a posição de goleiro da equipe principal, ainda que alguns fossem parte somente de treinamentos ou que estivessem no banco, sendo mais aproveitados na categoria juvenil jogando pouco ou quase nada pelo profissional da equipe A. Apesar de ser uma longa lista, é extremamente curioso notar que poucos goleiros formados em La Masia tem sucesso no clube de formação.

Francesc Arnau (Espanhol, 1995-2001) – chegou às canteras em 1990, com apenas 15 anos. Fez muitos jogos pelo Barcelona B e em 1996 estreou num empate 3×3 contra o Atlético de Madrid. Fez menos de 25 partidas de liga pelo time principal e saiu em 2001 para o Málaga, onde se aposentou 10 anos depois. Foi convocado pelas seleções espanholas Sub-23 e Sub-21, sendo campeão e melhor jogador da Eurocopa Sub-21 de 1998.

Ruud Hesp (Holandês, 1997-2000) – fez mais de 100 partidas e venceu 3 títulos (2 Campeonatos Espanhóis e 1 Supercopa da UEFA). Exceto pelas 3 temporadas na Catalunha, só jogou no futebol holandês. Convocado pela Holanda para a Euro de 1996 e para a Copa do Mundo de 1998, aposentou em 2002 pelo Fortuna Sittard, clube pelo qual fez mais de 300 partidas e é ídolo.

Richard Dutruel (Francês, 2000-2002) – contratado após 4 boas temporadas pelo Celta de Vigo pelo valor de 4 milhões de euros, o francês atuou em apenas 15 jogos de liga nos 2 anos que esteve na Espanha. Foi reserva imediato de Pepe Reina em uma temporada, e na outra foi o terceiro goleiro. Atuou em 2000 como um substituto em um amistoso contra Camarões. Passaria um ano como titular no Alavés antes de ir ao Strasbourg, onde se aposentou em 2005.

Pepe Reina (Espanhol, 2000-2002) – filho do famoso goleiro Miguel Reina, o arqueiro entrou nas canteras blaugranas em 1995 e estreou apenas em 2000, temporada em que mais atuou pelo clube. Em 2002 saiu para o Villarreal, onde teve três anos de sucesso. Em 2005 foi contratado pelo Liverpool, onde ficou por 8 anos e jogou mais de 395 partidas. Foi titular no Napoli em 4 temporadas (exceto pela temporada 14-15, onde foi reserva no Bayern) e em 2018 foi contratado para compor elenco no Milan, onde está atualmente. Representou a seleção espanhola em todas as categorias e também a Catalunha. Dos graduados em La Masia, é o que melhor obteve sucesso fora do clube espanhol, com 6 títulos por outros clubes, 4 por La Roja e 5 prêmios individuais.

Roberto Bonano (Argentino, 2001-2003) – jogou antes por Rosario Central e River Plate, com muito sucesso neste último. Fez mais de 50 jogos pelos culés em dois anos, mas perdeu espaço com o surgimento de Victor Valdés. Jogou ainda por Murcia e Alavés, aonde se aposentou em 2008. Foi convocado pela Argentina nas categorias Sub-20 e principal, sendo parte dos 23 que foram à Copa de 2002. Recentemente foi assistente técnico no Athletic Bilbao.

Victor Valdés (Espanhol, 2002-2014) – se tornou uma lenda e um dos símbolos do clube. Estreou em 2002 em uma qualificatória da Champions League contra o Legia Varsóvia, sendo definitivamente promovido a titular na temporada seguinte. Conquistou 21 títulos em 535 partidas pelo Barcelona, foi campeão mundial e europeu pela Seleção Espanhola e também recebeu vários prêmios individuais, se tornando o guarda-redes de maior sucesso da história do clube. Passaria ainda pelo Manchester United, Standard de Liége e Middelsbrough.

Robert Enke (Alemão, 2002-2004) – nascido na Alemanha Oriental, Robert chegou ao Camp Nou credenciado por 3 bons anos no Benfica. Se tornou terceiro goleiro, atrás de Valdés e Bonano, jogando pouquíssimas partidas pelos culés e sofrendo muito para se adaptar. Chegou a ser criticado em público por Frank de Boer e também afirmou que ser goleiro do Barcelona era “a posição mais difícil do mundo”. Após passagens curtas por Fenerbahçe e Tenerife, acertou com o Hannover em 2004, onde se tornou titular absoluto desde que chegou. Representou as seleções alemãs olímpicas, profissionais e de base. Contudo, cometeu suicídio em 10 de novembro de 2009 motivado pela depressão que sofria por longos 6 anos, mesmo com o tratamento psiquiátrico necessário. Na época era considerado o titular da seleção alemã, e sua trágica partida abriu espaço para um jovem Manuel Neuer, à época no Schalke 04.

Rustu Reçber (Turco, 2003-2004) – goleiro de muita fama e qualidade, havia apenas jogado na Turquia até chegar ao Barcelona sem custos, credibilizado pelo terceiro lugar com a seleção nacional na Copa do Mundo de 2002. Após uma boa pré-temporada, lesões o deixaram debilitado na disputa pela posição. Ao ser preterido pelo treinador Frank Rijkaard no dia da estreia por não falar bem espanhol, criticou a decisão do holandês e se tornou o reserva definitivo de Valdés. Passou 2 anos emprestado novamente ao Fenerbahçe e jogou só 8 jogos na temporada 2006-2007. Transferiu-se ao Besiktas, onde se aposentou em 2012. 

Albert Jorquera (Espanhol, 2003-2009) – fez grande parte de sua categoria de base no Barcelona, mas não obteve destaque, nunca sendo candidato à titularidade. Após dois empréstimos, fez apenas 24 jogos em 6 anos. Jogou a última temporada (2009-10) pelo Girona. Hoje trabalha com jóias em negócios familiares.

Rubén (Espanhol, 2004-2008) – chegou ao Barcelona em 1997, estreando apenas em 2004. Entrou no lugar de Xavi depois que Valdés foi expulso em um empate 1×1, fora de casa, contra o Valencia. Jogou o jogo seguinte (vitória 2×1 sobre o Levante) e foi só. Após um empréstimo ao Racing Ferrol, saiu em definitivo para o Cartagena e ainda passaria por Málaga, Rayo Vallecano, Almería, Levante, Deportivo La Coruña e Anderlecht. Chegou em 2018 ao Osasuna, onde está até hoje.

*Curiosidade: o Barcelona teve Valdés, Rubén e Jorquera como goleiros em 3 temporadas seguidas (2004-2007).

José Manuel Pinto (Espanhol, 2008-2014) – estreou profissionalmente pelo Betis B, mas fez sucesso mesmo no Celta de Vigo, onde passou dez anos e fez mais de 220 partidas. Em 2008 foi trazido por empréstimo, que logo se tornou uma compra. Foi o reserva imediato de Valdés em todas as campanhas que esteve no clube. Fez 90 partidas e se aposentou.

Oier Olazábal (Espanhol, 2007-2014) – convocado pela seleção espanhola Sub-19 em 2008, chegou ao Barcelona 1 ano antes para jogar pela equipe B, onde fez mais de 120 partidas. Pela equipe A, porém, apenas dois jogos: empate em 2-2 contra o Alcoyano pela Copa do Rei e derrota fora de casa contra o Mallorca por 2-1, quando os culés já eram campeões. Saiu em 2014 para o Granada e fez menos de 20 jogos. Após ser emprestado para a Real Sociedad, foi emprestado para o Levante em 2016. O empréstimo se tornou uma compra na temporada seguinte e lá está desde então, acumulando mais de 50 partidas.

Rubén Miño (Espanhol, 2010) – também com passagens por seleção de base, jogou menos pelo time B e menos ainda pelo principal: 74 jogos e uma derrota por 3-1 para o Sevilla na Supercopa da Espanha, respectivamente. Saiu do Barça B em 2012 para o Mallorca, onde fez mais de 40 jogos e ficou até 2015. Passaria ainda por Oviedo, AEK Larnaca, Albacete e Politehnica Iasi, da Romenia. Hoje está no Logroñes, da terceira divisão espanhola.

Jordi Masip (Espanhol, 2014-2017) – chegou ao Barcelona em 2004 e foi emprestado para jogar a quarta divisão espanhola na temporada 2008-2009. Quando voltou passou a atuar pela equipe B e fez 79 jogos. Em 2014 foi promovido ao time principal para ser o terceiro goleiro, mas atuou apenas 4 vezes em três temporadas. Saiu para ser titular do Valladolid, posição que ocupa até o momento.

Marc-André Ter Stegen (Alemão, 2014-atualmente) – considerado por muitos o herdeiro de Manuel Neuer, o arqueiro nascido em Monchengladbach foi revelado pelo Borussia de sua cidade, e atuou em 127 partidas entre 2010 e 2014. Chegou ao Barcelona contratado por 12 milhões de euros. Em sua primeira temporada ficou encarregado dos jogos de copas, acumulando 21 partidas nas conquistas da Copa do Rey e da Champions League. Jogou um pouco mais na temporada seguinte e assumiu a titularidade definitiva em 2016. Hoje está entre os melhores do mundo na posição.

Cláudio Bravo (Chileno, 2014-2016) – surgiu no Colo-Colo, de onde saiu em 2006 após mais de 120 partidas. Passou 8 anos na Real Sociedad, onde fez 237 partidas e chegou a marcar um gol de falta em um jogo pela segunda divisão. Foi contratado pelos blaugranas por 12 milhões de euros e teve uma boa temporada inicial. Contudo, vendo que seria preterido por Ter Stegen, decidiu sair para o Manchester City de Pep Guardiola, mas nunca conseguiu se firmar como titular. Hoje é reserva do brasileiro Ederson e um dos principais jogadores do Chile, com 121 jogos pela seleção principal e duas conquistas de Copa América. Acumulou vários troféus individuais na carreira.

Fabrice Ondoa (Camaronês, 2014-2016) – revelado pela academia do atacante camaronês Samuel Eto’o, chegou às canteras blaugranas em 2009. Em 2014 chegou ao Barcelona B, mas foi reserva de Adrian Ortolá ainda na equipe B. Relacionado para treinos do time principal na temporada 2015-16, nunca estreou pelo time principal. Passaria ainda por Pobla Mafumet, Gimnàstic de Tarragona e o time B do Sevilla. Em 2018 chegou ao Oostende, da Bélgica, onde está até hoje e também é reserva. Por outro lado, acumula 38 jogos com a seleção principal de Camarões apenas com 23 anos. É primo de André Onana, goleiro hoje no Ajax e que também esteve na base do Barcelona entre 2010 e 2015.

José Aurélio Suárez (Espanhol, 2014-2017) – relacionado para treinos e jogos em 2016-17 do time principal, mas jogou apenas pelo Barcelona B, com 48 partidas. Saiu para o Peralada e fez 23 jogos. Em 2019 foi contratado pelo Girona, onde está hoje.

Jasper Cillessen (Holandês, 2016-2019) – passou 9 anos na base do NEC Nijmegen, onde estreou em 2010. Após apenas uma temporada, foi contratado pelo Ajax. Convocado para a Copa do Mundo de 2014, foi titular da equipe que conquistou o terceiro lugar de maneira invicta. Contratado pelo Barcelona por 13 milhões de euros para ser reserva, jogou pouco na liga, mas acabou tendo bastante espaço na Copa do Rei. Saiu em 2019 para ser titular do Valencia, em uma transferência que diretamente influenciou na contratação do goleiro brasileiro Neto.

Adrián Ortolá (Espanhol, 2017-2018) – jogou por equipes C e B do Villarreal antes de ser contratado pelo Barça. Também recebeu convocações pelas seleções de base, da Sub-17 à Sub-20. Foi titular da equipe B por muito tempo e jogou quase 100 vezes. Treinou com o time principal apenas uma temporada, quando foi o terceiro goleiro atrás de Ter Stegen e Cillessen. Após um empréstimo para o La Coruña e apenas uma partida, assinou com o Tenerife, onde é o titular.

Iñaki Peña (Espanhol, 2018-atualmente) – atualmente no time B do Barcelona, que disputa a terceira divisão espanhola. Já foi convocado pela Roja Sub-21. É considerado promissor pelo seu jogo com os pés e posicionamento de goleiro-líbero.

Jokin Ezkieta (Espanhol, 2018-2019) – cria da base do Osasuna, se mudou para Barcelona em 2015. Após uma temporada foi emprestado ao Sabadell, onde foi titular absoluto na campanha que evitou o rebaixamento por pouco. Acabaria jogando 15 partidas com o time B dos culés. Com o fim do seu contrato em 2019, assinou com o Athletic Bilbao por 4 anos e atua também pelo time reserva dos bascos.

Neto (Brasileiro, 2019-atualmente) – oriundo das categorias de base do Athletico Paranaense, teve dois bons anos na equipe brasileira e se transferiu para a Fiorentina em janeiro de 2011 Assumiu a titularidade na temporada 2013-14 e se tornou um dos principais jogadores da equipe. Em 2015 foi contratado pela Juventus para ser o reserva imediato de Buffon, jogando apenas 22 partidas em 2 temporadas. Foi contratado para ser titular no Valencia, e jogou 80 jogos entre 2017 e 2019. Em 27 de junho deste chegou ao Barcelona para ser o reserva imediato de Ter Stegen. Atualmente se recupera de uma lesão na mão.

Arnau Tenas (Espanhol, 2019-atualmente) – titular da seleção Sub-19 da Espanha, é também o guarda-redes do Sub-19 do Barcelona que disputa a UEFA Youth League, a versão Sub-19 da Champions.

0 visualização

Receba nossas atualizações

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco

© 2020 por Voa Goleiro. Tudo sobre Goleiros.